Olhares cruzados sobre a América Latina no Programa do II Sialat

A programação do II SIALAT está composta de várias atividades de caráter científico,
tecnológico, político e cultural. Conta-se com as seguintes atividades: Conferência, Mesas
Redondas, Grupos de Trabalho (apresentação de Trabalhos Completos e de Pôsteres),
Minicursos, Oficinas, Mostra de Filmes da América Latina e Ações Culturais. Essas atividades
estão estruturadas pelo eixo temático do evento, buscando manter coerência com o tema
abordado.

A relevância do evento também pode ser vista pelo alcance de público. O SIALAT 2015, realizado
em novembro de 2015, contou com poucos recursos, entretanto foi registrado aproximadamente
500 participantes. Para o II SIALAT a submissão de trabalhos foi surpreendente, com 1.020
resumos para trabalhos completos e pósteres recebidos. O público alvo é formado por docentes e
discentes de Programas de Pós-Graduação, de Grupos de Pesquisa, de demais professores,
pesquisadores, estudantes de graduação, de professores da rede de ensino médio e básico,
técnicos, gestores públicos, movimentos sociais, profissionais e interessados em geral nas
temáticas abordadas.

Desta forma, este evento propiciará o intercâmbio de ideias, estudos, pesquisas e debates na
análise de experiências de pesquisa sobre o Estado, governos e suas políticas, pensamento
social no Brasil e na América latina, lutas sociais e organizações da sociedade civil, processos de
trabalho, relações de gênero, processos de migração e deslocamentos forçados, imaginário, mídia
e poder, mudanças no agrário, transformação do urbano, grupos étnicos, natureza e direitos,
cultura e turismo, mineração e grandes obras hidrelétricas, todos eles temas que têm
incrementado o intercâmbio acadêmico-científico tomando como referência os próprios programas
de pós-graduação que incutem problemas relacionados ao desenvolvimento capitalista – esses
temas são priorizados nos treze Grupos de Trabalho.

Um evento como este não se faz sem o apoio de instituições, grupos de pesquisa e pessoas.
Inicialmente um agradecimento para a Universidade Federal do Pará através da Pró-Reitoria de
Pesquisa e Pós-graduação e do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, essenciais na sua
execução. Ao CNPq, à CAPES e a FAPESPA, como agências de financiamento que acreditaram e
apoiaram este projeto. Às instituições parceiras com as quais esperamos continuar realizando
atividades acadêmicas e políticas, como o CLACSO, a SBS, a ANPUR, o PPGSA/IFCH/UFPA, o
ILEA/UFRGS e a UNILA (no seu núcleo sobre a Amazônia). E, em especial a todos que compõem a
equipe do Grupo de Pesquisa Estado, Trabalho, Território e Mercados Globalizados (GETTAM),
formada por docentes e discentes da pós-graduação do NAEA, de professores do CESUPA e da
UNAMA, responsáveis pela organização do II SIALAT 2017.

Edna Castro
Coordenadora do II SIALAT 2017

UFPA será centro de discussões sobre a America Latina

Evento internacional espera receber mais de 900 participantes.

Este ano Belém será novamente a capital latino-americana das ciências sociais. Nos próximos dias 27, 28 e 29 de novembro será realizada na Universidade Federal do Pará a segunda edição do SIALAT – Seminário Internacional America Latina: Políticas e Conflitos Contemporâneos. O evento é inovador ao fomentar uma revisão de saberes cristalizados, estimular a busca de esquemas interpretativos novos, a revisão de conceitos e a produção de leituras críticas através de estudos comparativos e do que nos ensinam os processos insurrecionais que atravessam toda a América Latina.

Realização do Grupo de Pesquisa sobre Território, Trabalho e Mercados Globalizados do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos da Universidade Federal do Pará (GETTAM/NAEA/UFPA), coordenado pela professora doutora Edna Maria Ramos de Castro, o II Sialat tem como público-alvo professores e pesquisadores de programas de pós-graduação, grupos de pesquisa, estudantes de graduação e pós-graduação, técnicos, gestores púbicos, movimentos sociais, profissionais e interessados em geral nos estudos latino-americanos e nas temáticas abordadas.

O II Sialat envolverá várias atividades de caráter científico, tecnológico e cultural, sendo composto por conferências, mesas redondas, grupos de trabalho com apresentação de artigos e posteres, minicursos, mostra de filmes sociológicos e etnográficos, bem como uma diversificada programação cultural.

A primeira edição, realizada em 2015, registrou aproximadamente 500 participantes. Saiba como foi, na reportagem da Academia Amazônia:

Para este ano a expectativa é de cerca de 900 pessoas participem do encontro, que já conta com 749 trabalhos que serão apresentados nos 13 grupos de trabalho.

A proposta do evento é debater situações comuns que atravessam hoje os países da América Latina com base em resultados de pesquisas produzidas em universidades, em institutos de pesquisa, em programas de pós-graduação e outras instituições reconhecidas pela sua excelência. Aprofundando o debate crítico sobre as políticas, os conflitos sociais, o processo histórico de transformação considerando as práxis sociais, as lutas sociais e os movimentos sociais, inclusive das conjunturas de crise econômica e política.

Desta forma, busca propiciar o intercâmbio de ideias, estudos, pesquisas e debates na análise de experiências de governos e de organizações da sociedade civil em relação às políticas públicas, e incrementar o intercâmbio acadêmico-científico tomando como referência os próprios programas de pós-graduação no campo do desenvolvimento e de temas a ele correlatos.

Por esta razão, o entendimento do Brasil para além dele mesmo, no sentido de fomentar olhares críticos sobre as narrativas ocidentais que tem predominado na interpretação da sociedade brasileira. Cabe ainda ressaltar a contribuição do evento para ampliar os interesses de pesquisadores e aumentar a inserção dos programas de pós-graduação nos estudos internacionais, com intercâmbios direcionados à América Latina, o que constitui uma lacuna nos centros de formação localizados no Brasil, sobretudo tributários da ciência produzida na Europa e nos Estados Unidos, exigindo um esforço complementar de formação de agendas.

Serviço:
II SIALAT – Seminário Internacional America Latina: Políticas e Conflitos Contemporâneos
De 27 a 29 de novembro de 2017
Centro de Eventos Benedito Nunes – UFPA

Inscrições no SIALAT 2017

Alertamos que encerraram as inscrições via internet.

Novas inscrições serão realizadas apenas no local do seminário, no Centro de Eventos Beneditos Nunes (UFPA), a partir das 08h30 do dia 27 de novembro de 2017.

No mesmo local e horário também serão feitas as inscrições nos minicursos e oficinas.
Taxa de inscrição: $20,00 (vinte reais), em cada atividade.
Vagas limitadas.